É amor ou cilada?
1 de junho de 2021

Pense em uma transformação pessoal voltada para o seu bem estar mental e físico

Esqueça apenas o skincare quando ouvir falar em autocuidado. Essa prática cada vez mais divulgada passa, sim, por rotina de beleza, boa alimentação e exercícios, mas vai muito além disso. e requer uma transformação pessoal.

O “self care”, termo do inglês e bastante utilizado para definir,  também é uma série de ações, de mudanças de mindset que tornam sua vida mais leve e mais feliz.

Sabe quando o seu dia não foi dos melhores? Esqueceu a consulta agendada há meses, ou pagar a escola do filho, cometeu um erro no trabalho, aquele encontro tão esperado não aconteceu?Pois bem, autocuidado é uma reação não depreciativa diante de “dias do cão”.

É sobre o auto apoio, é sobre você se acolher. Sabe aquele ombro, aquele conselho que você dá para os amigos quando eles precisam? Imagine ele direcionado para você? 

Trata-se do olhar para si mesmo com compaixão e empatia   E vou além: são formas de levar a vida, que preservam a saúde mental, as emoções, a sociabilidade, o corpo e a espiritualidade.

Parece lindo de ouvir, mas muito difícil de implementar? Talvez porque nas suas crenças, que são limitantes, uma vida com mais prazer, soe muito egoísta.  

Primeiramente, quero te dizer que não é nada individualista ou egocêntrico. Saiba que o seu bem estar impacta nas pessoas e no ambiente ao seu redor.

Nesse artigo, quero apontar caminhos para que o autocuidado seja implementado no seu cotidiano. E te digo mais: a decisão é sua e é agora. Nem pense esperar a “promoção do emprego”, a pandemia acabar, o ano novo ou qualquer momento que seja.

Começar um curso novo, ou correr mais km, retirar o glúten da alimentação, por exemplo, aprender a tocar um instrumento são ações de auto aperfeiçoamento, que fazem bem, que incluem metas, mas não podem ser apontadas como a raiz do autocuidado, já que ele não espera que algo mude ou seja consertado para viver bem. Ele não depende de circunstâncias.

Um outro ponto que é bastante confuso: relaxar é bom. Viajar é maravilhoso.  Tirar uma tarde assistindo sua série preferida ou acompanhada de gente querida. Porém, são sensações agradáveis que passam. O autocuidado exige transformação no olhar sobre a vida, afinal muitas vezes nossa sociedade valoriza de alguma forma o estresse, a correria e o excesso de tarefas, como se isso fosse sinal de ser bem sucedido.

No Brasil cerca de 70% da população já apresentou sintomas de estresse de acordo com dados do Isma (International Stress Management Association)  Esse dado alarmante foi divulgado em 2017, antes da pandemia da Covid-19. Acredito que agora deve ser maior.

 Isso quer dizer que  bem mais da metade da população ativa está no limiar de estourar, e a partir disso, se não for tratado, é possível desenvolver crises de ansiedade e pânico, além de ter o comprometimento de toda a saúde física e emocional.

Para começar, enquanto lê esse artigo, repare na sua postura. Está encurvada, tensa? Então, erga seus ombros, sente corretamente, de forma confortável. Relaxe o maxilar. Respire, enchendo os pulmões, e exale o ar calmamente.  Esse é um exercício simples, para ser repetido muitas vezes ao longo do dia. 

E sim. Ele é considerado autocuidado, uma vez que o reconhecimento de si mesmo e te leva a uma sensação de poder e compreensão de si mesmo.

Assim, com essa presença, é que entendemos mais nossos sentimentos, emoções e também das nossas reações. 

Por isso, quero te convidar a fazer alguns ajustes necessários – e te proponho uma viagem para conhecer mais sobre si mesmo. Com carinho, com apoio, como se fosse sua (seu) melhor amiga (o).

  • Crie uma rotina para dormir melhor;

A quantidade de horas de sono é algo muito individual e ao se observar poderá sentir qual a real necessidade do seu corpo

Saiba que a privação de sono te deixa irritado, com raciocínio lento, te faz comer mais gordura do que precisa ( e estocá-la) e está ligada a casos de depressão. 

Para ter um sono de mais qualidade, muitos médicos indicam desligar o celular, evitar telas à noite,trabalhar até tarde, não comer demais no jantar, optar por ambientes mais escuros, entre outras.

  • Estabeleça limites – aprenda a dizer “não”;

Por mais assustador que pareça, negar favores, se distanciar de situações desagradáveis, acumular tarefas, não farão o mundo desabar. E o melhor de tudo, você pode negar, contrariar, sem brigas.

Em um primeiro momento pessoas do seu convívio podem estranhar um novo comportamento , mas sua saúde mental agradecerá.

O segredo para estabelecer os limites é notar como se sente em algumas situações. Nosso corpo “fala” e fica cheio de tensões quando algo não soa agradável. Fique de olho.

  • Movimente-se;

A prática de atividades físicas libera uma série de reações no nosso organismo, inclusive a liberação da deliciosa endorfina, nosso hormônio de bem estar.

E o melhor: todo exercício físico tem esse poder. E não faltam opções para nos agradar: dança, caminhada, natação, trilhas, bike em grupo ou sozinho, yoga.

O importante é suar e garantir uma dose natural de alegria.

  • Tenha um planejamento de tarefas diário;

Organize-se para ter um horário de início e fim de trabalho e inclua momentos de descanso.

Trabalhar focado rende mais do que você imagina. E você vai se surpreender que conseguirá intervalos e encerrar o “expediente” mais cedo.

Existem muitas técnicas para focar no dia a dia e garantir o seu momento de trabalho com qualidade, sem procrastinação e atrasos.

O resultado é mais lazer, mais tempo para si mesmo. E não esqueça de ouvir o seu corpo e o que ele necessita. Quem sabe um dia off não é tudo que você precisa? 

  • Desenvolva a prática da meditação;

Como falei anteriormente, autocuidado tem total relação com a presença. No estar no agora, para fazer escolhas, para responder ao meio, para saber o que você precisa. Até para se alimentar melhor.

Meditar é capaz de retirar “camadas” de preocupação, desapegar de  pensamentos.

Existem muitas formas de meditar: andando, sentado, com música de fundo, focado na respiração. Busque a que ressoa melhor com você.

No Felicitude, meu projeto do “coração” e que utiliza o conceito revolucionário da “Neurofelicidade”, você entenderá mais  sobre “programação mental”que torna autocuidado algo natural no seu dia a dia.

Nesse programa você terá acesso ao e-book Felicidade Já que te apresenta a oportunidade de conhecer uma nova vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *